Medicina do Estilo de Vida

É uma abordagem científica interdisciplinar que prioriza o uso terapêutico do estilo de vida e envolve apoio na mudança de hábitos para consumir alimentos predominantemente integrais em dieta à base de plantas, manter atividade física regular, cuidar da qualidade do sono, saber estratégias para manejo do estresse, cultivar relacionamentos saudáveis, cessar uso do tabaco e drogas, prevenir abuso de álcool, além de outras modalidades não medicamentosas, para prevenir, tratar e, mais importante, reverter as doenças crônicas relacionadas ao estilo de vida que estão cada vez mais prevalentes.

DEFINIÇÃO

A Medicina do Estilo de Vida é a prática baseada em evidências para ajudar indivíduos e famílias a adotarem e manterem comportamentos saudáveis que afetam a saúde e a qualidade de vida.

VALORES

As práticas do estilo de vida e hábitos relacionados à saúde estão entre os fatores determinantes mais importantes da saúde de uma população.
Mudar hábitos nocivos é fundamental para o cuidado médico, prevenção de doenças e promoção da saúde.
A relação de confiança entre o médico e o paciente, junto com o apoio da família, de uma equipe interdisciplinar e da comunidade são a chave para a melhoria dos hábitos relacionados à saúde e resultados em qualidade de vida.

A atuação médica e interprofissional no contexto da prática dos princípios da medicina do estilo de vida prioriza os seguintes conhecimentos, habilidades, atributos e valores:

Liderança

  • Promover hábitos saudáveis como fundamentos para o cuidado médico, prevenção de doenças e promoção da saúde.

  • Ter empenho exemplarista na qualificação do próprio estilo de vida e incentivar a criação de ambientes que deem suporte aos comportamentos saudáveis no contexto familiar, escolar e profissional

Conhecimento

  • Demonstrar conhecimento das evidências sobre quais mudanças específicas do estilo de vida podem ter um efeito positivo na saúde do paciente.

  • Saber as maneiras de otimizar o engajamento médico e da equipe interdisciplinar com pacientes e familiares para potencializar os efeitos positivos dos hábitos relacionados à saúde dos pacientes.

Habilidades avaliativas

  • Avaliar as predisposições sociais, psicológicas e biológicas referentes aos hábitos dos pacientes e os impactos resultantes na saúde e bem-estar.

  • Avaliar a prontidão, vontade e habilidade do paciente e da família para fazer mudanças nos hábitos relacionados à saúde.

  • Realizar exame clínico sobre o estado de saúde relacionado ao estilo de vida, incluindo os “sinais vitais” do estilo de vida, como o uso de tabaco, o consumo de álcool, dieta, atividade física, índice de massa corporal, nível de estresse, sono e bem-estar emocional.

  • Solicitar e interpretar exames para triagem, diagnóstico e monitorização de doenças relacionadas ao estilo de vida.

Habilidades de gerenciamento

  • Usar diretrizes internacionalmente reconhecidas (como aquelas para hipertensão e cessação do uso do tabaco) para auxiliar pacientes no autogerenciamento de seus hábitos ligados à saúde e estilo de vida.

  • Estabelecer relacionamentos eficientes com pacientes e famílias para incentivar e sustentar mudanças comportamentais utilizando métodos e ferramentas de aconselhamento baseados em evidência e realizar acompanhamento.

  • Colaborar com pacientes e suas famílias para desenvolver planos de ação baseados em evidência, alcançáveis, específicos e escritos que funcionam como “prescrições de estilo de vida”.

  • Ajudar pacientes a gerenciar e sustentar práticas de estilo de vida saudáveis e encaminhar pacientes a outros profissionais da área da saúde.

Uso de apoio de ambiente de trabalho e da comunidade

  • Ter a habilidade para atuar em equipe de saúde interdisciplinar visando dar suporte a uma abordagem interprofissional integrada e centrada no melhor para o paciente.

  • Aplicar sistemas de informática e desenvolver práticas sistemáticas de trabalho para apoiar o cuidado médico do estilo de vida, incluindo uso tecnologia de apoio à decisão.

  • Mensurar processos e resultados para melhorar a qualidade das intervenções no estilo de vida em indivíduos e grupos de pacientes.

  • Usar recursos de referência na comunidade apropriados, que apoiem a implementação de estilos de vida saudáveis.

Controle da sua Saúde

O tema central da Medicina do Estilo de vida é utilizar técnicas motivacionais para abordar sistematicamente seis pilares fundamentais da saúde. Isto vai além de uma simples prescrição, mas o desenvolvimento de uma relação de parceria entre médico e paciente com o objetivo de transformar positivamente o estilo de vida e a saúde.

A Medicina do Estilo de Vida conta com o empoderamento do paciente, que se torna cada vez mais informado e ativo no processo de transformação da saúde. A mudança do estilo de vida pode atuar em conjunto com um tratamento médico preexistente ou, em muitos casos, eliminar a necessidade de medicamentos e até reverter completamente doenças comuns como hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, gota, doenças autoimunes, entre outras.

Alimentação saudável é um fundamento importante da saúde, sendo o tratamento (ou a causa) e uma grande variedade de doenças.

Dê preferência a alimentos de origem vegetal, naturais e integrais.

Minimize alimentos de origem animal e alimentos superprocessados.

É importante consumir uma ampla variedade de vegetais, incluindo cereais integrais, hortaliças, leguminosas (como feijões, lentilhas e grão de bico), frutas, castanhas, sementes e especiarias.

Movimente-se!
Atividade física, mesmo que não esportiva, tem efeitos em prevenção, tratamento e até reversão de doenças.

150 minutos semanais, distribuídos ao longo da semana são suficientes, mas mais é ainda melhor!

Através de técnicas motivacionais, a Medicina de Estilo de vida incentiva a prática regular visando o bem estar e a saúde.

Baixa qualidade ou privação de sono pode trazer piora de qualidade de vida, transtornos de concentração, memória e disfunções imunológicas, além de ser um risco para desenvolvimento ou agravo de doenças crônicas.

Medicina do estilo de vida estimula o sono saudável, identificando e tratando hábitos de sono, influências ambientais e possíveis distúrbios do sono, fortalecendo um dos fundamentos da nossa saúde.

Álcool e tabaco são as principais drogas lícitas da nossa sociedade.

O tabaco já está definitivamente estabelecido como causa de muitas doenças, portanto o seu consumo (em qualquer forma!) é fortemente desencorajado.

É recomendável também moderação no consumo de álcool, pois o excesso pode levar a problemas de saúde.

Estresse pode ser um fator positivo levando a maior motivação e produtividade - ou a ansiedade, depressão, obesidade, disfunção de imunidade e piora na saúde.

Auxiliar os pacientes a reconhecer respostas negativas ao estresse e gerar mecanismos para lidar melhor com ele pode facilitar o desenvolvimento de hábitos saudáveis, promovendo saúde e bem estar.

Conexão social é essencial para nossa resiliência emocional e saúde em geral.

Estudos mostram que indivíduos com fortes conexões sociais tendem a ser mais longevos e saudáveis, no entanto isolamento e solidão são associados com maior chance de desenvolver doenças e de morrer precocemente.

Especialmente em indivíduos já diagnosticados com condições associadas ao estilo de vida.

ASSOCIE-SE

Junte-se a nós e se torne um membro do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida

SAIBA MAIS