Exercícios físicos e mudanças de hábitos na prevenção da osteoporose

Além do cálcio e da vitamina D, a realização de atividades físicas e a diminuição do consumo de substâncias tóxicas auxiliam a prevenir a doença

Com o avanço da longevidade em todo o mundo, torna-se cada vez mais necessário cuidar da saúde dos ossos. De acordo com o The New York Times, uma recente pesquisa estimou que metade das fraturas ósseas ocorrem por consequências da osteoporose, uma doença em que há a perda progressiva da massa óssea. Já em estudo publicado em setembro deste ano, pesquisadores de Hong Kong relataram que as fraturas de quadril quase dobrarão em todo o mundo até 2050. Nesse cenário, priorizar a saúde óssea é essencial – principalmente com a perspectiva do aumento da expectativa de vida em todo o mundo.

Mas quais fatores estão relacionados com o cuidado dessas estruturas? Consumo de cálcio, vitamina D, realização de exercícios físicos e cuidado com o estilo de vida são as quatro principais orientações para melhorar a saúde dos ossos. O cálcio é um nutriente essencial para os ossos ao longo da vida. Embora o pico da densidade óssea seja por volta dos 25 anos, é importante realizar a manutenção desse nutriente no corpo, por meio do consumo de laticínios, cereais e oleaginosas. A vitamina D também tem função primordial para a absorção do cálcio, por isso também deve ser monitorada.

Em relação às atividades físicas, exercícios de fortalecimento e aeróbicos auxiliam na sustentação do peso, aumento da força muscular e coordenação – habilidades fundamentais para prevenir quedas. As escolhas relacionadas ao estilo de vida também impactam na saúde dos ossos. O consumo diário de bebidas alcoólicas e o tabagismo são fatores que reduzem a densidade óssea, tornando essas estruturas menos resistentes. Indivíduos com diabetes e outras condições que afetem a absorção de nutrientes, como doença celíaca ou doença inflamatória intestinal, têm maior risco do desenvolvimento de osteoporose. Condições associadas com sistema imunológico ou pessoas com baixo índice de massa corporal também devem realizar acompanhamento para a prevenção da doença.

Fonte: New York Times

ASSOCIE-SE

Venha fazer parte desta mudança!