O que é a desprescrição de medicamentos na polifarmácia?

Prevalente entre idosos, essa condição é caracterizada pelo consumo diário de várias medicações, com ou sem prescrição médica

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a polifarmácia é definida como o uso rotineiro e concomitante de quatro ou mais medicamentos. Essa característica é bastante comum em idosos, uma vez que com o avançar da idade, há um aumento da prevalência de doenças crônicas e a utilização de uma série de remédios para o manejo dessas condições clínicas. Nesse cenário, o termo desprescrição de medicamentos vem se popularizando, uma vez que busca – de forma planejada e com supervisão de um profissional da saúde – a redução do uso desses remédios.

Esse foi um dos temas das palestras do 5° Congresso Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida, ministrada pela médica geriatra Louise Montesanti. Em entrevista ao Jornal O Globo, a profissional avalia a questão na polifarmácia entre os idosos: “Quase 70% das pessoas com mais de 65 anos têm duas ou mais condições crônicas e metade delas toma mais de cinco medicamentos”. Nesse contexto, a geriatra aponta que 20% dessa população tem queixas de sono e utilizam medicações para dormir, as quais aumentam o risco de queda. Para Louise, a superespecialização e compartimentalização da medicina é uma das causas desse excesso na polifarmácia, uma vez que os médicos não costumam interferir nas prescrições de profissionais que são de outra especialidade.

Além disso, os efeitos colaterais das medicações também são um dos motivos para a cascata de prescrição, também chamada de cascata iatrogênica. Segundo a médica, quando um indivíduo toma sete ou mais remédios em seu cotidiano, o risco de ter efeitos colaterais das medicações é de cerca de 82%. Ganho de peso, mudanças na memória, deficiência de vitamina B12 e problemas gastrointestinais estão na lista desses possíveis efeitos. Por conta dessas reações adversas, novos medicamentos são introduzidos para lidar com essas consequências. Dessa forma, a desprescrição é um caminho para reduzir as medicações de forma a melhorar a qualidade de vida do indivíduo, com menores hospitalizações e diminuição do risco de queda, por exemplo. Para isso, o cuidado com o estilo de vida, com a adoção de hábitos saudáveis, auxilia no tratamento das condições de base, em geral doenças crônicas, as quais estão relacionadas com grande parte das medicações vinculadas à polifarmácia. “A adoção da Medicina do Estilo de Vida remove a causa que motivou a polimedicação”, conclui Louise.

Fonte: O Globo

(https://oglobo.globo.com/blogs/espiritualidade-e-bem-estar/post/2022/11/devo-diminuir-a-quantidade-de-remedios-que-tomo.ghtml)  

ASSOCIE-SE

Venha fazer parte desta mudança!