Planejar, comer junto ou cultivar uma pequena horta: dicas para tornar a prática da cozinha mais agradável

Cinco sugestões para se aproximar da cozinha e ter um estímulo no preparo de alimentos caseiros para as refeições durante a semana 

Trabalhar, praticar exercícios físicos, arrumar a casa, estudar: essas são algumas tarefas do cotidiano que tornam o dia a dia mais corrido e estressante. Nesse cenário, cozinhar o próprio alimento pode também se tornar mais uma obrigação, ao invés de ser uma prática de conexão com os hábitos alimentares e melhoria da qualidade das refeições consumidas. Por isso, para quem quer tornar essa prática uma atividade mais simples e agradável, cinco dicas são essenciais para desenvolver esse laço com o ato de cozinhar. 

  • Planejamento  

Colocar no papel as ideias de refeições para a semana é o ponto inicial para auxiliar tanto no preparo quanto na lista de compras. Reservar um dia da semana para o planejamento das preparações, como o domingo, por exemplo, pode ajudar a reduzir o estresse durante a semana, uma vez que a alimentação já estará organizada. 

Envolver as crianças nesse processo também estimula na criação desse hábito desde pequenos. Para casos em que é interessante cozinhar maiores quantidades, fazer receitas duplicadas e montar marmitas congeladas também torna esse processo mais fácil. Ter no congelador alimentos básicos do cotidiano, como arroz, feijão, sopas e molhos disponibiliza maiores opções para criar refeições rápidas na hora e variar na oferta do cardápio semanal. 

  • Comer juntos

Os habitantes das Blue Zones (“Zonas Azuis”) ao redor do mundo não costumam realizar as refeições sozinhos, pelo contrário. Os icarianos, por exemplo, são conhecidos por comer lentamente enquanto conversam com as famílias. Assim, constroem laços mais fortes e tornam esse momento em um ritual saudável. 

Assim, comer como um ato social pode ajudar a tornar os períodos reservados à alimentação mais agradáveis, com a possibilidade de desfrutar melhor o seu prato. Além de também ser um momento de partilha com o próximo, para estreitar as relações e efetuar uma pausa na correria do cotidiano. 

  • O básico também pode ser delicioso

Começar a cozinhar, assim como toda habilidade desenvolvida, demanda tempo para aperfeiçoamento. Contudo, práticas básicas como cortar legumes, fazer sopas simples, preparar pratos básicos como arroz, temperar carnes e cozinhar feijão ou lentilha já são o suficiente para criar uma série de variedades de preparações para o cotidiano. Ao reservar um tempo para o preparo desses alimentos simples, é possível ter sempre opções mais saudáveis para almoço e jantar durante toda a semana. 

  • Cultivar uma pequena horta em casa

Começar com um pequeno vaso de tempero, por exemplo, enriquece o sabor das preparações e também promove uma aproximação com o cultivo dos próprios alimentos. Nas Blue Zones, as populações têm o hábito da jardinagem, com hortas com ervas e legumes frescos. Além de fornecer opções mais saudáveis para a mesa, com menor quantidade de agrotóxicos, também é um hobby que possibilita a movimentação do corpo e a redução do estresse. Mesmo em pequenos apartamentos nas grandes cidades, é possível reservar um canto para plantar algumas ervas e utilizá-las para perfumar sopas, molhos ou até mesmo a salada. 

  • Tomar café da manhã sempre em casa

Tem dias em que a geladeira está vazia e o mais fácil é sair para tomar um café rápido fora de casa ou durante a primeira reunião do dia. No entanto, para começar o dia bem, preparar e tomar o café da manhã em casa pode promover uma melhor ingestão de nutrientes. Para as manhãs mais corridas, deixar pronto na noite anterior opções como mingau de aveia, pudim de chia, vitaminas ou até mesmo um sanduíche estimulam a realizar essa refeição caseira antes de começar o dia de trabalho. 

Texto adaptado do artigo: www.bluezones.com/2018/04/want-to-eat-better-and-live-longer-learn-to-cook 

ASSOCIE-SE

Venha fazer parte desta mudança!